Escolha uma Página

Antes de mais nada, gostaria de agradecer a todos que tem lido e dado feedback, seja através dos comentários aqui no blog, seja através de comunicação direta. Muito obrigado, de verdade!

O texto de hoje eu gostaria de dedicar a uma Trader que tive a oportunidade de conhecer e que acabou me surgindo a ideia de escrever sobre essa “dificuldade” de transição entre a conta demo para a conta real. Ela manda muito bem na conta demo (e faz uns trades cabulosos!), mas ja disse que se sabota ao ir para a conta real, então espero que esse post ajude na próxima  transição entre as contas.

Como o blog é sobre a psicologia do trader, esse será o ponto de vista, o que talvez ajude a galera que está estudando e que ainda não iniciou na conta real, a se estruturar psicologicamente.

Para que serve a tal “Conta Demo”
Conta Demo

Desculpem, não pude resistir a piada…

Comecemos pelo começo. A ideia de se poder “operar” no mercado financeiro, sem a necessidade de usar dinheiro de verdade é completamente tentadora. Você não precisa desembolsar um centavo se quer e pode “viver as emoções” de ganhar e perder na bolsa e de quebra, aprender como funcionam os mercados, como os preços se movem, como os setups funcionam, enfim, aprender sobre toda a mecânica do mercado, tudo isso enquanto o mercado está rolando ao vivo. Para quem sabe usar de forma correta, torna-se uma excelente ferramenta de aprendizado, do contrário, torna-se um video-game e não ajuda em nada, só atrapalha.( Abordaremos isso mais a frente.)

 

Conta Demo: Forma correta de se usar

Resultado de imagem para CertoComo disse antes, é uma ferramenta muito importante para o aprendizado do futuro trader, se utilizado corretamente. O que quero dizer com forma correta é o seguinte: Testar e treinar a sua estratégia, sem a necessidade de pagar pelo aprendizado. Ou seja, treinar a leitura de mercado,testar um setup novo, testar um indicador novo, seja o que for, posso utilizar a conta demo para fazer esses testes sem precisar perder dinheiro para o mercado e saber se funciona ou não, saber o que estou fazendo de certo e errado e descobrir onde é necessário fazer ajustes, seja na estratégia ou no trader.

Conta Demo: Forma errada de usar

Para quem não sabe utilizar essa ferramenta, isso se torna um video-game, em que o jogo é ao vivo! Logo, a pessoa que está “jogando” não está focada nem concentrada no que deve ser feito, não está com a Imagem relacionadaatenção na estratégia nem no que o mercado está fazendo. Ou seja, não estão de fato estudando e sim, perdendo tempo. Pegam um setup, indicador ou estratégia nova, fazem meia dúzia de operações que dão certo e já vão para o mercado real, achando que vão ficar milionárias no dia seguinte e adivinhem o que acontece com quem não leva os estudos a sério…

Impacto psicológico do uso da Conta Demo

Para quem já acompanha o blog aqui, já percebeu que sou o tipo de trader que “olho mais para dentro do que para fora”. Então quando eu comento com alguém sobre isso, eu tenho uma opinião um pouco diferente dos demais. Muita gente diz que nada adianta conta demo, que deve-se ir para conta real e cair pra dentro do mercado. Eu já discordo. Até porque, antes de se tirar a carteira de motorista, você aprende a dirigir. (boa referência?!)

É inegável a necessidade de treino para se fazer algo bem feito. É aquela velha máxima, com um pequeno ajuste: A prática, de forma correta, leva a perfeição.

Quando você está utilizando a conta demo, seu cérebro automaticamente corta o link entre “risco de perder dinheiro” e o “medo”. Para quem utiliza da forma correta, verá isso como uma vantagem, do contrário, já disse antes, acham perda de tempo

Ahh vc fala muito! que vantagem é essa? Não existe vantagem nenhuma!

Para quem não está procurando, nunca achará, de fato. Se seu cérebro “desliga” o medo, automaticamente você vai ver oportunidades onde outros não estão vendo, ou ficaram paralisados em agir. Se você pratica com afinco, seu cérebro criará sinapses muito mais rígidas com seus olhos e mãos, fazendo com que as imagens do gráfico que você está vendo sejam processadas mais rápido e sua mão clique mais rápido do que seu emocional pergunte: Oquequetáacontecenoaqui?!. Isso chama-se memória mecânica, ou seja, seu corpo reagirá de forma automática, por ele já ter feito isso repetidas vezes e ter calculado suas taxas de acerto e de erro ao fazer estas ações.

É isso o que acontece quando você “sente” o trade. Nada mais é do que as informações que você adquiriu sendo processadas “em segundo plano” e seus resultados sendo executados quase que involuntariamente. Não acredita? tá certo. Pegue um gráfico aleatório de qualquer ativo em qualquer dia… se você  encontrar os pontos de entrada, sem mesmo marcar nada, você já prova o que eu disse.

Uma segunda vantagem que se possui, é que como você não corre “risco”, deve-se operar com o racional em 1000%. Logo, todas as operações que serão feitas, não devem ter razão emocional e com isso, você treina o seu operacional de forma quase pura, praticamente na essência. Sem o emocional para “atrapalhar” o que sobra é puramente o racional das operações e suas probabilidades. E é isso que deve ser treinado, pois cria a confiança no operacional e saber que ele funciona além da auto confiança, por mostrar que você é capaz de executar as operações

Saindo da conta Demo e indo para a Real

Aqui é onde MUITOS TRADERS pecam e o fazem de forma espetacular.  Vou tentar exemplificar com 2 situações:

Situação 1:

O trader resolveu treinar a estratégia que ele acabou de aprender num curso qualquer. Ele já possui uma ideia do quanto ele precisar ganhar para viver do mercado e ser o mais novo milionário da praça. Acha que com o curso que ele fez, ficará rico rapidamente. Por isso, ele vai treinar na sua conta demo, com 100 contratos, ou com lotes de ação na casa das dezenas de milhares. Quando a operação dá certo, ele olha rapidamente seu “saldo” e vê aquele número gigante de lucro e quando erra, diz que não fará aquela operação. Este trader se ilude por querer saber como “vai ser o futuro”, acha que vai ganhar rios de dinheiro… Quando cria a coragem ( o que deve levar alguns dias ou no máximo semanas) das duas uma: Ou opera com o mesmo numero de contratos ou lote de ações e quebra mais rápido do que entrou, ou entra com um mão infinitamente menor e se sente frustrado, entrando em espiral descendente…

Situação 2:

O trader resolveu treinar a estratégia que ele acabou de aprender num curso qualquer. Ele já possui uma ideia do quanto ele precisar ganhar para viver do mercado e resolve se focar na operação e não no “saldo”. Na sua conta demo, ele opera com o mínimo possível, pois o que lhe interessa é acertar a operação, entender o que ele está fazendo e melhorar continuamente. Não importa se ele vai operar na conta real com 1, 10 ou 100 contratos. O seu foco maior é acertar a operação, independente de quanto de “lucro” dê.

adivinhem quem se dá melhor no final?

Conta Demo

Será que precisa pensar tanto assim?

Concluindo…

Pode parecer uma coisa boba, mas na realidade não é. Obviamente, você não vai treinar o seu emocional numa conta demo, porém ao migrar para a conta real, já terá sua confiança no operacional alicerçada, sua visão treinada, seu gerenciamento de risco pronto, meta do dia e limite de perda. Só com isso, já sai em vantagem em relação a galera que acha que tudo isso é besteira. A única coisa que você precisará, é não deixar o emocional sobrepujar o racional, e manter a disciplina. E para isso, temos este blog aqui!

Imagem relacionada

Gostou do texto? Deixa aí nos comentários sua opinião!

Trouxe para vocês uma sugestão de Blog! Um blog irreverente e descontraído com temas variados! Acessem lá: Blog do Magrelow Trader

Quer saber mais sobre desenvolvimento pessoal e alta performance? Se inscreva no canal Patrícia Pedrozo Coach e não se esqueça de curtir nossa página no Facebook Mente de Trader

Ainda não leu os posts anteriores? então Clica aí!

Regras da atividade difícil

Controle emocional do Trader

Frustração e estresse no Trading

 

The following two tabs change content below.

Herick Borges

Trader Autonomo
Trader autônomo e investidor na bolsa desde 2011. Participante do Team Urso desde 2015 e autodidata em assuntos relacionados a finanças pessoais, investimentos, economia e um grande entusiasta em psicologia comportamental e de alta performance voltada ao Mercado Financeiro.