Biblioteca do Trader: O livro dos Cinco Circulos

Aqui estamos com mais um Biblioteca do Trader! Nesse mês, FINALMENTE trago um livro que me ajudou (pra car#$%@) em relação a disciplina e prática!

Que livro é esse, vocês estão se perguntando! O nome do livro é O livro dos Cinco Anéis (ou Círculos ), escrito por Myamoto Musashi.

 

 

O Livro dos Cinco Anéis

Imagem relacionada

Antes de mais nada, quero informar a você leitor que a versão que eu li desse livro, foi uma versão resumida da obra original, pois a obra original aborda questões mais técnicas de combate, que não tem muito uso prático para nós.

Sim! Esse é um livro sobre um estilo de luta com espada que é único, e como forma de passar o conhecimento adiante, o autor escreveu esse livro antes de morrer e deixou como presente para seu aluno.

O que um livro que fala sobre “luta com espadas” ou “coisas de samurais” tem a ver com mercado?! MUITO MAIS DO QUE VOCÊ IMAGINA!

O livro é separado em 5 seções, sendo eles Terra, Água, Fogo, Vento e Vácuo

 

Myamoto Musashi

Para que eu possa falar da obra, é necessário saber quem é o seu autor. Myamoto foi um dos melhores espadachins da sua época,

Nascido em 1584, na província de Harima, pouco se sabe sobre alguns períodos da sua vida (algo entre a idade 31 as 50 anos). Desde criança se interessou por Kenjutsu (luta com espada) e se dedicou a aperfeiçoar suas habilidades com o tempo.

Sua primeira batalha ocorreu aos 13 anos e lutou até aproximadamente seus 30 anos, não perdendo nenhum combate. Seu combate mais famoso, foi contra o samurai Sasaki Kojiro. Ele também participou de uma guerra civil importante no Japão (Batalha de Sekigahara) e depois disso, os registros sobre ele ficam misteriosos.

Esse é um breve, mas muito breve resumo do autor. Se quiser saber mais, da uma olhada AQUI

 

 

Livro Terra

Resultado de imagem para terra kanji

Nessa seção, o autor aborda os princípios do seu estilo de combate e mostra aos praticantes quais os caminhos ele deve seguir, dentro da prática.

Onde ele deve focar e o que deve aprender. Tanto com a técnica, quanto com a mentalidade correta na hora do combate.

Ele prioriza o conhecimento, em profundidade, de todas as armas que podem ser usadas em combate, suas vantagens e desvantagens, e quando elas devem ser utilizadas. Aborda também o RITMO de batalha, que deve ser alcançado somente através do treinamento.

Nesse capítulo, ele deixa escrito as regras de seu estilo de combate:

1- Evitar todo e qualquer pensamento perverso

2- Treinar dentro dos preceitos da Técnica

3- Conhecer muitas artes – Não só a militar

4 – Compreender os mandamentos das diversas profissões

5 – Discernir as vantagens e as desvantagens que existem em todas as coisas

6 – Desenvolver a capacidade de discernir a verdade em todas as coisas

7 – Conhecer pela percepção instintiva coisas que não podem ser vistas

8 – Prestar atenção aos menores detalhes

9 – Nada fazer de inútil

 

 

Livro Água

Resultado de imagem para água kanji

Aqui, o autor mostra, como seu corpo e seu ESPÍRITO devem estar antes e durante a batalha.

Esse capítulo é mais focado em golpes e suas definições, o que já vale a leitura para fazer um paralelo com o que temos no mercado.

Além disso, ele demonstra qual golpe usar dependendo do terreno ou condição que você se encontre. Um exemplo: caso esteja em combate onde movimentos horizontais são limitados por paredes (corredor), utilize golpes na vertical sempre (movimento “claro”), seja de cima para baixo ou vice-versa.

Isso é óbvio, né Herick! Será? Então por que numa consolidação do preço (corredor), você compra ou vende no meio do caminho, sabendo que possui maior vantagem se operar nos extremos (movimento “claro”)?

Um ponto importante é que ele explicita que só existem 5 tipos de postura de combate e mais nada. Ou seja, o combate é mais simples do que se imagina. (Assim como no mercado, as pessoas desde aquela época gostavam de complicar).

 

 

Livro Fogo

Resultado de imagem para fogo kanji

Nesta seção, o autor faz um comparativo com a técnica desenvolvida, treinada e aperfeiçoada (e simples!) com outras “escolas famosas“, mostrando as vantagens e desvantagens de cada uma.

Além disso, ele demonstra técnicas que superam as técnicas de outros estilos, fazendo com que o estilo dele prevaleça. Ou seja, ensina a como não “cair em armadilhas” ou caso caia, te mostra como sair delas.

 

Livro Vento

Resultado de imagem para vento kanji

Esse é interessante. Se você acha que os vendedores de técnicas milagrosas são coisas atuais? Pois saiba que naquela época, já existiam essa “turma do barulho, que apronta altas confusões” (leia com a voz do cara da sessão da tarde)

Como Myamoto escreve, “para entender melhor a sua própria técnica, é importante conhecer as outras“. Então, nesse capítulo ele expõe tudo sobre outras “escolas“, inclusive suas respectivas fraquezas ( e o porque delas!)

Aqui está algo que eu, particularmente gosto de fazer. Não uso nenhum indicador, mas gosto de aprender sobre eles, para justamente entender como NÃO aplicá-los e quais suas fraquezas. O mesmo serve para os “Setups milagrosos” vendidos por aí.

Mas isso só é possível por eu aprender e entender como a minha técnica funciona e suas respectivas fraquezas (nada é perfeito, né consagrado?!)

 

 

Livro Vácuo

Resultado de imagem para ensõ

Por definição, o vácuo é a ausência das coisas. Para o autor, isso inclui ausência de emoções, dúvidas e incertezas na hora do combate. Hoje em dia, é conhecido como “Fluxo”.

E você achando que “fluxo” é algo recente, já tinha um cara em 1584 falando dele, sob outro nome.

Para o autor, para se alcançar o “vácuo” é necessário que aprenda e pratique as técnicas com muita dedicação e profundidade, pois a partir do conhecimento do “todo” terá a noção do conhecimento do “nada

Ou seja, não pensará, somente reagirá (dentro da técnica) ao que seu adversário estará fazendo, ao terreno em que você se encontra e automaticamente, tomará sua decisão.

Então, se você realmente quer alcançar alguma coisa, pratique e muito, porém SAIBA  o que está praticando, questione, compare, duvide, aprenda coisas diferentes, entenda por completo o que você está executando… tudo isso te deixa mais próximo do objetivo!

 

 

Links para comprar o livro:

(O livro separado não consegui encontrar, mas coloquei o link de um box com 2 outros livros que vale muito a pena!)

O Livro dos Cinco Anéis (BOX) – Amazon

O Livro dos Cinco Anéis (BOX) – Submarino

O Livro dos Cinco Anéis (BOX) – Saraiva

 

Outros Posts sobre a Biblioteca do Trader:

A História Secreta da Criatividade

A Lógica do Cisne Negro

Maestria

A Sutil Arte de Ligar o F*da-se

O Andar do Bêbado

Trading in the Zone

Biblioteca do Trader: A história secreta da Criatividade

Antes tarde, do que mais tarde! Sim, demorou um pouco mais saiu! Mais um post da Biblioteca do Trader!

E hoje, trago um livro muito interessante, que aborda o tema criatividade! (um dos poucos que conheço)

Como traders, precisamos MUITO desenvolver nossa criatividade e nossa capacidade de raciocínio rápido. E esse livro, mostra, através de exemplos históricos, como podemos fazer isso!

 

A história secreta da Criatividade

Foto 1 - Livro - A História Secreta da Criatividade

Muita gente acha que Einstein, Mozart, DaVinci entre outros considerados “gênios” simplesmente tiveram suas ideias que mudaram o mundo do nada, como num passe de mágica.

Muitos acham que é um “dom“, algo intrínseco àquela pessoa. O famoso “nasceu para isso“. Mas na verdade, não é.

Criar algo, seja uma ideia, um produto, ou um método de operar, requer dedicação, foco, disciplina e repetição.

Sobre esse livro, o resumo dele é até bem curto, pois ele mantém o foco, através de exemplos reais, em desmistificar alguns conceitos e processo criativo. Então, vou resumir sob essa ótica!

 

Desmistificando as coisas

Muita, mas muita gente mesmo, acha que quando uma pessoa é boa naquilo que faz, que ela nasceu com um “dom” (as vezes falam num tom até que divino). Como disse antes, o popular “nasceu pra isso…

Na verdade, nada disso existe. O que de fato ocorre, é que aquela pessoa se interessou mais por aquele determinado assunto e se aprofundou mais que a maioria, se tornando um destaque.

Não quer dizer que a pessoa é um gênio, que veio do nada, ou que fazia isso desde que saiu da barriga da mãe! muito pelo contrário!

Para as pessoas que não operam na bolsa, por exemplo, nós traders somos “diferenciados” por que nós nos dedicamos a isso, e para elas, é necessário meio que se tornar “um ser quase divino” para poder fazer operações, pois devemos saber de TUDO o que acontece no mundo, para poder ganhar dinheiro…

… mal sabem elas que sabemos tanto quanto elas e que qualquer um pode aprender. Basta se interessar!

 

Processo criativo

Esse aqui é o grande lance sobre criatividade. Pra galera que “está de fora“, acha que as coisas vem do além, e do nada, caem no nosso colo ou explode nas nossas mentes.

Na verdade, é muito difícil de isso acontecer. O mais comum, é nos dedicarmos tanto ao processo que conseguimos enxergar melhor as coisas.

Para  nós Traders, nosso processo pode começar do zero ou partir de algum ponto ou conceito deixado por outra pessoa. O que muitos fazem ( e eu acho bem errado) é se “bitolar” naquilo, comer, beber e respirar o que querem fazer.

No sentido de se “bitolar” as pessoas se fecham a um único caminho, não deixando margem para OUTRAS FORMAS DE APRENDIZADO.

Há uma história no livro, sobre um menino, vendido como escravo, que foi o responsável pelo aumento na produção de baunilha… no Mundo!

De forma resumida:  Em 1841, se você quisesse comer baunilha, teria que importar da costa do Golfo do México e pagar uma nota para isso.

Para você que não sabe, a orquídea precisa ser polimerizada em um determinado momento, para que se gere a  baunilha. Passado esse tempo, já era. Nada de Baunilha.

Muitos tentaram plantar essa orquídea em outros lugares do mundo, mas sem sucesso na geração do produto. Atribuíam isso a uma especie de abelha que só existia na costa do Golfo do México, portanto, era o único produtor

Até que um menino, de nome Edmond, órfão e vendido como escravo, resolveu esse problema. Como? Simples!

Ele utilizou o conhecimento que ele obteve em uma fazenda onde trabalhou antes da plantação de baunilha. Ou seja, utilizou um “conhecimento nada a ver“, se arriscou, testou e deu certo. Enquanto todos especulavam e teorizavam, ele agiu. Ganhou até uma estatua em bronze na ilha de Reunião.

Esse exemplo real, mostra que nenhum conhecimento ou aprendizado de qualquer outra área não específica é inútil. tudo o que aprendemos, pode ser aplicado, principalmente no mercado (conceitos de psicologia, filosofia, biologia… as áreas que você julga “nada a ver com o mercado”).

As pessoas tentam (e conseguem) complicar as coisas mais simples. No mercado financeiro então….

 

Para a galera que se interessar pela leitura, recomendo fortemente que leia ele em sequência do MAESTRIA, pois os assuntos abordados se conectam e as coisas ficam muito mais claras!

Esse resumo é curto, por que se eu falar muito, perde a magia do livro. Existem outras histórias nele que vão mostrar uma lado bem interessante do seu psicológico! Vale a leitura!

 

Links para comprar o livro:

A História Secreta da Criatividade – Amazon

A História Secreta da Criatividade – Saraiva

A História Secreta da Criatividade – Submarino

Outros Posts sobre a Biblioteca do Trader:

A Lógica do Cisne Negro

Maestria

A Sutil Arte de Ligar o F*da-se

O Andar do Bêbado

Trading in the Zone

 

Biblioteca do Trader: A Lógica do Cisne Negro

Primeira Quinta do mês é dia de Biblioteca do Trader, e hoje meus amigos, trago um livro que simplesmente impactou muito minha maneira de ver a vida de uma forma geral: A Lógica do Cisne Negro, do autor Nassim Nicholas Taleb.

Nota: Eu iria trazer um resumo de um outro livro, porém, esse acabou se tornando mais “importante” na fila.

Então vamos lá!

A Lógica do Cisne Negro

Resultado de imagem para a lógica do cisne negro

Possuo muitos livros bons. Não tenho uma biblioteca gigante, mas uma quantidade boa de livros. E de todos os livros que eu tenho, esse ganhou um  lugar de destaque.

Possui uma leitura fácil, porém requer um conhecimento prévio de alguns conceitos matemáticos (coisas que você aprende ao ler O Andar do Bêbado). É necessário ter esses conceitos para que seja mais fácil para o autor meio que destruí-los e te mostrar como as coisas funcionam.

O assunto principal do livro é sobre o efeito da aleatoriedade em todas as áreas e, principalmente, como nós lidamos com ela. (se você acha que entende, só por que aprendeu na escola, está muito enganado)

Mas o que diabos é um Cisne Negro?

Cisne Negro foi o nome dado pelo autor para eventos que ocorrem, de forma totalmente inesperada e que causa um grande impacto. Em geral, depois de ocorrido, vão existir várias explicações mostrando como esse fato era previsível.

Exemplos atuais de Cisnes Negros são: Moedas Virtuais, Crise Políticas, Crises Financeiras e etc.

Dois mundos diferentes: Mediocristão e Extremistão

O autor nos mostra logo de cara dois mundos essencialmente diferentes entre si.

O primeiro é o Mediocristão, onde as pessoas ACHAM que estão. Onde o impossível existe. Onde os eventos de grande impacto, por possuírem poucas chances de ocorrer, são ignoradas.

É um lugar onde, como o autor mostra, é regido pela Curva em forma de sino.

Já o Extremistão, é onde nós vivemos. Onde eventos de grandes magnitudes ocorrem, mesmo possuindo poucas probabilidades. E esses eventos mudam tudo. Um lugar onde o impossível não existe

O conceito é mais complexo do que isso, porém, não teríamos espaço aqui (infelizmente)

Como nós tratamos as probabilidades

Nesse livro, o autor nos demostra como as probabilidades que aprendemos na escola, não se aplica na vida real.

Um exemplo, é o famoso jogo de moedas em que você possui 50% de chances de dar cara ou coroa. Se em 99 jogadas a moeda só deu cara, qual a probabilidade de ela dar coroa na 100º?

Pelo que aprendemos na escola a resposta sera 50%, certo? Mas na vida real não é…

Na vida real, assumimos que existe algo errado com esse moeda, e a probabilidade real seria muito maior de 50% dar cara do que coroa.

Na teoria dos jogos que aprendemos na escola, não são levados em conta outros fatores externos, que existem ao nosso redor, e que influenciam diretamente as probabilidades finais.

Logo, a melhor aproximação de probabilidades reais é a aplicação dos conceitos de fractais de Mandelbrot. Pois, as probabilidades aplicadas são escaláveis.

Empirismo e Ceticismo

Algo muito importante que é tratado no livro é justamente a “quebra” da teoria. Muita gente aprende teorias (trazendo para o mercado, aprendemos os setups, teoria de Dow, Elliot, Fibonacci entre outros), porém muitos não observam o mundo ao seu redor para ver se a teoria se aplica de verdade.

A maioria quer que o mundo se encaixe na teoria aprendida numa sala de aula, porém esquecem que fora da sala de aula é um lugar totalmente diferente.

Logo, o autor mostra o por que devemos ser céticos a teorias já estabelecidas e, a partir das nossas observações e experiencias empíricas, aprendermos como as coisas ao nosso redor funcionam.

Sendo mais simples: O autor pede que partamos da prática para a teoria e não o contrário. Que observemos o mundo ao nosso redor e SOMENTE DEPOIS procuramos alguma teoria.

A necessidade de justificativa

Outro ponto importante do livro, é sua demonstração a respeito de algumas falhas inerente a nós, humanos.

A necessidade de contarmos histórias para justificar os eventos passados, tornando assim o que não tem explicação, em algo simples. Como exemplo, uma movimentação forte na bolsa, logo ganha uma explicação, quase vinda do além, em algum site ou gerada por nós mesmos.

O autor também nos mostra que nós cometemos o erro de achar que sabemos mais do que outras pessoas. Nos julgamos melhores e superestimamos o que sabemos. Com isso, cometemos erros de análise com bastante frequência.

O quanto você não sabe é tão importante quanto o que você sabe

Uma coisa que me impactou bastante no livro, juntamente com outros conceitos, foi o fato de medirmos o quanto sabemos algo através do quanto não conhecemos o resto das coisas. De certa forma, nunca saberemos muito e por isso devemos continuar a aprender.

Ele demonstra isso, utilizando uma biblioteca com muitos livros, onde o que mais importa é o conhecimento contido dentro dos livros não lidos. Pois neles podem haver mais perguntas…

Conclusão

Resultado de imagem para mind explosion gif

Esse foi o efeito que esse livro causou em mim!

Esse livro me mostrou que ninguém pode prever o que vai acontecer no futuro. Nem os “especialistas” conseguem. (se duvida, utilize a previsão dos analistas e meça quantas vezes eles erraram e compare com quantas vezes acertaram)

Me mostrou que olhar para o que já ocorreu, não vai ajudar em nada para o que vai acontecer.

Aprendi que não preciso ficar buscando justificativa para tudo o que ocorre ao meu redor, conectando coisas que muita das vezes nada tem a ver com o ocorrido.

Aprendi a focar no que esta ocorrendo de mudanças agora, a ficar atento aos eventos que podem mudar tudo, seja na minha operação, seja no meu dia, seja na minha vida…

Nota: Só para constar, o autor foi operador de Derivativos da Bolsa de Nova York, o que já conta como um motivo a mais para ler esse livro!

Posts baseados nesse livro

Falácia de Ida e volta

Problema de Narrativa

Links para comprar o livro:

A Lógica do Cisne Negro – Saraiva

A Lógica do Cisne Negro – Livraria Cultura

A Lógica do Cisne Negro – Amazon

Outros Posts sobre a Biblioteca do Trader:

Maestria

A Sutil Arte de Ligar o F*da-se

O Andar do Bêbado

Trading in the Zone

Biblioteca do Trader: Maestria

Mais um post para a Bibiloteca do Trader! E hoje, trago um resumo de um dos livros mais importantes que li até hoje: Maestria, do autor Robert Greene.

Maestria

Resultado de imagem para maestria livro

O tema central desse livro é: Como alcançar a maestria na atividade que eu exerço?!

De forma mais direta, o autor se compromete a mostrar o caminho, através do exemplo de outras pessoas que alcançaram a maestria em suas respectivas áreas, aproveitando para desmistificar alguns pontos como Dom, Talento e Genialidade.

Em primeiro lugar, descubra sua vocação

Algo que o autor atribui ao sucesso da empreitada de se tornar um mestre, é descobrir o que de fato você gosta de fazer, qual a sua vocação de verdade!.

Não é algo fácil de se descobrir. Porém, muita gente não a busca de verdade, e acabam passando a vida sem saber o que de fato as fazem felizes.

Quando você a descobre, a sua vocação chamará por você. Não terá como fugir.

Todo aprendizado lhe é útil

Muito dos mestres abordados no livro (Da Vinci, Einstein, entre outros) passaram por um processo de aprendizado pouco ortodoxo.

Para eles, todo o aprendizado era útil, ajudando-os no caminho da maestria. Coisas que a princípio pareciam desconexas, faziam sentido e se encaixavam em algum ponto da jornada do aprendizado.

Outro ponto importante era que esses mestres, nunca paravam de aprender. Estavam sempre desenvolvendo novas ideias e revisitando suas ideias antigas, afim de melhorá-las constantemente.

Pratique, pratique e quando cansar, pratique mais…

Todos os mestres possuem pontos em comum. Um deles é a pratica constante, com rigor e obstinação  (Ostinato Rigore, dito por Da Vinci).

Esses mestres levavam suas práticas a exaustam e sempre testando novas possibilidades e pontos de vista, e o faziam sempre que possível, independentes de suas condições.

De acordo com o autor, Einstein desenvolveu a teoria da relatividade, enquanto trabalhava com autenticação de patentes. Ele estava impossibilitado de fazer seus testes devido ao trabalho, porém ele aproveitava para praticar e testar através da sua criatividade! Imaginando os cenários e realizando os cálculos, tudo isso de cabeça!

Doideira, né?! “ah, mas Einstein era um gênio…” Essa é uma das desculpas que o livro te ensina a não dar…

Desmistificando as coisas

Uma das coisas mais interessantes que o livro aborda são os mitos populares de Dom, Talento e Genialidade.

É comum encontrar gente que faz tão bem uma coisa, mas tão bem, que dizemos que essa pessoa nasceu para fazer aquilo. Erro comum da nossa parte.

Não que não exista certa inclinação das pessoas para executar certas tarefas, mas de nada adianta se não for exercitado.

O próprio Einstein, por exemplo, era um aluno mediano na escola. Quem o chamasse de gênio, naquela época, seria chamado de louco.

Então, em maior parte dos casos, essas pessoas que nós na qual falamos que possuem um dom, talento ou que são gênios, na verdade, somente praticaram mais aquela atividade do que nós, e possivelmente mais que a maioria.

Tenha um mentor

O autor também informa a necessidade de se ter um mentor, para lhe ensinar o caminho correto e auxiliar você na caminhada. ( Se não encontrar um, você deverá ser seu próprio mentor!)

Nas épocas medievais, era comum que jovens (na faixa entre 10~13 anos) fossem “dados” para mestres artesãos, para que estes os ensinassem  suas técnicas. No geral, os estudos duravam em média cerca de 7 anos, para que o aluno pudesse sair da sombra de seu mestre (e você achando que com um curso de final de semana, vai ser consistente no mercado…)

Leonardo Da Vinci, por exemplo, foi entregue pelo seu pai a um mestre chamado Verocchio, que o ensinou algumas técnicas de pintura e de escultura, para começar.

Todas as artes nas quais Da Vinci foi apresentado, foram dominadas e ele as elevou a um novo patamar. Além de sair do “óbvio” indo estudar anatomia, para melhorar suas pinturas. (Viu como as coisas se conectam?!).

Por fim, a maestria

A Maestria em si, é um estado físico e mental onde suas reações são rápidas, seus pensamentos são mais precisos e onde você consegue enxergar com profundidade.

Não quer dizer perfeição! Significa que, como você já praticou com afinco, levou o seu treinamento, seus estudos a fundo, já testou e errou bastante, você verá as coisas de forma diferente de um iniciante.

Alcançar a maestria não é um passeio no bosque em um dia de sol, e sim um caminho árduo, difícil e que deixa muita gente pelo caminho. Se quiser realmente se tornar um mestre, esteja preparado…

Links para comprar o livro:

Maestria – Amazon

Maestria – Saraiva

Maestria – Livraria Cultura

Outros Posts sobre a Biblioteca do Trader:

A Sutil Arte de Ligar o F*da-se

O Andar do Bêbado

Trading in the Zone

Biblioteca do Trader: A Sutil Arte de Ligar o F*da-se

Mais um post para a Biblioteca do Trader! Hoje, trago o resumo do livro: A Sutil Arte de Ligar o F*da-se, do autor Mark Manson.

Podem estar se perguntando: O que esse livro tem a ver com o mercado financeiro?! MUITA COISA! então vamos ao resumo!

Resultado de imagem para a sutil arte de ligar o foda-se

A sútil arte de ligar o F*da-se

Sendo bem direto, esse é um verdadeiro tapa na cara! O Autor não está preocupado com o que você vai pensar, simplesmente ele está lá para te dizer a verdade nua e crua sobre a vida.

No geral, livros de “autoajuda” buscam te dar a formula mágica para se ter uma vida feliz, alcançar o sucesso e a riqueza, de forma “simples”. O problema é que a vida não é esse arco-íris todo não. Nada é fácil.

Nem tente…

O primeiro cápitulo do livro chama-se Nem tente, onde o autor já te chama a atenção para essas “falácias” e que você não deve buscar essa vida perfeita. Ele usa como exemplo um autor chamado Charles Bukowski, hoje famoso por suas obras literárias, porém enquanto vivo, era um beberrão, que não tinha respeito por ninguém e vivia sua vida a sua maneira.

Esse cara não se “encaixava” em lugar nenhum e teve vários de seus livros rejeitados, além de ser facil encontrar ele bebâdo por aí.

Daí você se pergunta, como um cara desses alcançou o sucesso? Dois motivos: 1º – Ele não se importava com a opinião alheia e com isso, deu muita profundidade aos seus textos por abordar de forma peculiar seus personagens e 2º – teve um pouco de sorte

Afinal, o que é felicidade?

Esse livro mostra a você que é impossível ter uma vida sem problemas, como muita gente imagina. O fato é SEMPRE haverão problemas. Sejam eles maiores ou menores.

Ou seja, felicidade é você poder resolver os problemas que vierem surgindo na sua vida e torcer para que eles diminuam de tamanho. Você acha que gente rica não tem problemas? Tem sim senhor(a)… Problemas diferentes de gente que não tem tanta grana assim, obviamente…

Panda da Desilusão

Resultado de imagem para panda da desilusãoEsse é o melhor personagem de livro que eu poderia imaginar! Imagine um amigo que sempre fala a verdade sobre você, por pior que ela seja. Pode ser incoveniente as vezes, mas não deixa de ser verdade! Esse amigo é o Panda da Desilusão.

Ele serve para te alertar (e baixar sua bola) de vez em quando. Serve tabmém para te mostrar que você NÃO É ESPECIAL. Não tem essa de “eu sou o cara, eu sou único”… De longe, você não é!

O valor do sofrimento

No livro, o autor da certa importância ao sofrimento. Ele mostra como esse sentimento é poderoso, se usado de forma correta!

Muitos livros o negligenciam, porém somente passando pelo sofrimento é que você obtém resultados que outras pessoas não conseguem.

Um exemplo que é dado no livro é o da pessoa que quer ter o corpo definido e musculoso. Para isso ela deve frequentar a academia, sentir dor nos musculos para que eles fiquem mais fortes e com o tempo, a dor pare. E no final das contas, vem o resultado.

Ligando o F*da-se

Muita gente acha que fazer isso é facil, mas não é.

Somente é possivel fazer isso quando você já passou por muita coisa na vida, se conhece de verdade e ganha essa confiança em você mesmo. Quando para de se importar de verdade com a opinião alheia.

Essa sutil arte, não é só uma expressão falada, é um estilo de vida! E que poucos ousam sofrer por ela, mas todos querem!

Esse livro, particularmente, mudou muito minha maneira de ver as coisas. Me ajudou a ressignificar muita coisa na minha vida pessoal, o que afetou minha vida como trader também.

Esse livro tem tudo a ver com o que SER TRADER é. Aconselho MUITO que todos que estão no mercado financeiro leiam ele…

Links para comprar o livro:

A Sutil Arte de Ligar o F*da-se – Saraiva

A Sutil Arte de Ligar o F*da-se – Livraria Cultura

A Sutil Arte de Ligar o F*da-se – Amazon

Posts relacionados a esse livro:

Em busca do Autoconhecimento

Lidando com o Sofrimento

Sobre como lidar com os Erros

Um conselho para lidar com as perdas

Outros Posts sobre a Biblioteca do Trader:

O Andar do Bêbado

Trading in the Zone