Ser Trader: Quando o Ego toma conta

Essa ultima semana me ocorreu uma coisa que eu achei curioso. Eu percebi quando meu Ego resolveu tomar conta, e me dei conta dos tipos de pensamentos que me vieram a mente. Me tornei um Egotrader por alguns minutos. Talvez você se identifique com algumas coisas.

 

 

Algumas das coisas que me passaram pela cabeça

 

Quando o meu Ego resolveu assumir o controle (sendo permitido pelo lado racional, pois achei engraçado) percebi uma mudança de postura minha e uma mudança nos meus pensamentos de forma abrupta.

Uma coisa simples desencadeou isso, um simples stop na minha proteção, fez com que meu Ego fosse “atacado“, acionando suas “defesas” e assumindo o controle.

Nesse momento, eu comecei a pensar “Ah, agora o mercado TEM QUE romper essa região, por que foi lá me tirar“. Parece uma besteira, mas isso deu inicio a uma cadeia de pensamentos maiores.

A partir disso, outros pensamentos vieram. Coisas como “Eu não posso estar errado!“, “Minha análise estava perfeita, por que o mercado foi me tirar?“, “Inadmissível sair do mercado assim“, “Por que eu não acertei?“, “O mercado TINHA que ir na outra direção…

 

Incoerências que ferram o plantão

 

Quando o Ego toma conta, ele te coloca como o centro das coisas, ou seja, “você está certo, que seja feito a SUA vontade“. E isso atrapalha e muito, seu pensamento racional, afinal, você não consegue dar um passo para trás e analisar o todo.

Sendo assim, você assume uma posição contrária a velha máxima: O mercado é soberano. Ou seja, você pensa que VOCÊ SOZINHO é maior que o mercado inteiro e por isso ele DEVE ir para onde sua análise mandou.

Ou ainda, tenta adivinhar para onde ele vai, colocando em cheque seu pensamento estratégico e seu plano.

Se você não se dá conta do seu Ego, você fica incoerente. Na mesma frase você diz: O mercado é soberano, mas ele vai chegar em tal e preço e fazer tal coisa…

 

 

Mantenha-se presente

 

Eu consegui “achar graça” dos pensamentos que tive por dois motivos: Estava presente a eles e por conta do autoconhecimento.

São necessárias ambas as coisas para você perceber o momento exato em que está “perdendo a racionalidade“. Por me conhecer eu me permiti ter essa experiência e por que?

Porquê eu nunca havia deixado o meu Ego assumir antes, e me conhecendo, eu consegui “domar a fera“, não permitindo que meu emocional fizesse algo fora do meu gerenciamento e perdesse o controle. E o que aprendi?

Que se eu não tomar cuidado com ele, eu quebro uma conta bem rápido. E sabe o que eu mais vejo no mercado?

Traders com Egos enormes, assumindo riscos desnecessários, seja para se provar algo, ou pior, provar algo para outras pessoas.

E você, tem esses tipo de pensamentos?

 

Muito obrigado por ter investido seu tempo e por ter lido o post até aqui. Espero que tenha te ajudado de alguma forma. 🙂

Curtiu o post?! Então deixa aí nos comentários o que achou! E não esqueça de compartilhar ele com outros traders para que a gente possa ajudar mais gente nesse mercado!

Antes que eu esqueça, NÃO DEIXE DE SE CADASTRAR para receber as notificações sempre que rolar um post novo aqui no Blog! Não vai querer ficar de fora, não é mesmo?!

Quer saber mais sobre desenvolvimento pessoal e alta performance? Se inscreva no canal Patrícia Pedrozo Coach e não se esqueça de curtir nossa página no Facebook Mente de Trader

Para quem usa o Instagram, só me seguir lá no @herick.borges.14

Ainda não leu os outros posts?! Então Clica aí:

Está tudo conectado

Interpretar é diferente de Entender

O processo de tomada de decisão

Ninguém vem te ajudar

Histórias que você conta

Reflexões sobre o Tempo

Ser Trader: O processo de tomada de decisão

Quando nos deparamos com uma situação que requer nossa ação, nosso cérebro ativa o processo de tomada de decisão, que pode levar até milissegundos. E essa decisão pode fazer uma enorme diferença para você!

 

Imagem relacionada

 

Entendendo como tomamos decisões.

Nosso cérebro é uma máquina de computação de informações extremamente poderosa, porém “preguiçosa“. Logo, dependendo do “software” instalado nele, podemos tomar melhores ou piores decisões.

Se nossa mente está configurada para agirmos de uma certa forma quando nos deparamos com situações novas, o faremos de forma automática e nem perceberemos.

Se toda vez que o evento A ocorrer, sua mente entenderá aquele evento, buscará nas memórias um histórico e tenderá a  repetir a ação tomada para aquele mesmo evento no passado.

Conforme essas decisões são repetidas, acabam se tornando hábitos, que viram um comportamento e assim por diante…

 

 

O processo de tomada de decisão.

 

O processo interno de tomada de decisões segue um “padrão“, onde também são adicionados outras variáveis que afetarão a ação final.

O processo segue a seguinte lógica:

Evento > Acesso a memórias anteriores em relação ao evento > Avaliação de ações anteriores > Tomada de decisão

Com essa lógica o seu cérebro, as vezes em questões de milissegundos, toma uma decisão. Esse processo pode ser estendido, caso necessário e dependendo da situação.

Quando não estamos em uma situação de perigo de vida, seguimos essa lógica, pois não temos o fator “preservação a vida“. Um exemplo disso é quando precisamos agir de forma rápida para nos salvar ou até para salvar outra pessoa.

Vamos nos aprofundar um pouco mais nesses pontos.

 

Evento e Acesso a memórias anteriores em relação ao Evento

 

Chamo de Evento qualquer situação que requer uma decisão. Desde qual roupa usar à qual ativo devo operar, qual melhor investimento… etc.

Nossa mente é incapaz de imaginar coisas que nunca tenha visto antes. Quer uma prova? Imagine uma cor que não existe. Viu como não dá?!

Por isso, quando algo nos acontece, nosso cérebro vai buscar nas nossas memórias se aquele evento já nos ocorreu antes e todas as informações atreladas a ele. Como você se comportou, como você se sentiu, onde estava, etc.

Se aquele evento é novo, e não temos memória para ele, atribuímos muita carga emocional, e costumamos dar uma atenção absurda, assim como em nosso comportamento e nossas ações.

Ao começarmos algo onde nos damos bem, dizemos que é “sorte de principiante“, mas na verdade é que você está em um estado mental de completo foco. Quando a mente se “acostuma“, ela relaxa e esse estado é perdido.

Dependendo do tipo do Evento novo, ele pode nos paralisar (por exemplo um movimento brusco no mercado, totalmente “anormal”) ou pode nos fazer agir de uma forma positiva.

 

Avaliação de ações anteriores e Tomada de decisão.

 

Após nos deparamos com um Evento e acessarmos nossas memórias, entramos na parte de avaliação das ações anteriores. E é aqui que precisamos de muita atenção.

Essa avaliação se dá através de vários fatores, onde um mesmo evento pode gerar ações diferentes nas pessoas, devido a sua avaliação de ações anteriores. Como exemplo, ao ouvir um barulho de explosão, algumas pessoas correm para longe e outras em direção ao som.

Quais os fatores que influenciam suas avaliações? São vários, porém os principais são Autoconhecimento, Crenças e Treinamento Prévio.

Logo, quando você se conhece em profundidade, tem uma percepção melhor sobre suas ações e se elas são positivas ou negativas. Percebem o aprendizado com as decisões erradas e evitam cometê-las no futuro, porém para isso, precisam de outro fator.

Suas Crenças entram logo em seguida. Se forem do tipo que te limitam, suas avaliações serão negativas. Se forem do tipo que te ajudam a crescer, sua avaliação será mais positiva, mesmo que o resultado final não seja o que você esperava.

E por ultimo, se você está habilitado a lidar com aquela situação. Ou seja, se você sabe lidar com tudo o que está ocorrendo, através de algum aprendizado anterior. Para isso que o treinamento serve, te ajudando a criar uma “confiança” no que deve ser feito, além de criar memórias para te preparar para algum evento.

Por ultimo, temos a Tomada de Decisão em si, que é a ação gerada no final desse processo.

 

Considerações importantes

 

Nesse processo, somente o Evento e a Tomada de Decisão são “perceptíveis“. O acesso a memórias e avaliação, ocorrem no subconsciente, praticamente invisível, porém quando temos clareza de como o processo funciona, fica mais fácil identificar os pontos.

Outra coisa importante é que, quando não nos atentamos a esses pontos, muita das vezes pulamos a avaliação, tomando decisões prejudiciais a maior parte do tempo, por conta de crenças limitantes muito fortes, falta de autoconhecimento e por falta de conhecimento em como lidar com as situações.

Quando temos nossa mente é tomada por alguma emoção, esse processo fica meio bagunçado e com isso, não tomamos as melhores decisões. Isso se dá por reagirmos as situações em função da emoção, não tendo os prós e contras medidos de forma eficaz.

Agora que você já está ciente de como nossa mente toma as decisões, o que você vai fazer para melhorar as decisões que você toma?!

 

Muito obrigado por ter investido seu tempo e por ter lido o post até aqui. Espero que tenha te ajudado de alguma forma. 🙂

Curtiu o post?! Então deixa aí nos comentários o que achou! E não esqueça de compartilhar ele com outros traders para que a gente possa ajudar mais gente nesse mercado!

Antes que eu esqueça, NÃO DEIXE DE SE CADASTRAR para receber as notificações sempre que rolar um post novo aqui no Blog! Não vai querer ficar de fora, não é mesmo?!

Quer saber mais sobre desenvolvimento pessoal e alta performance? Se inscreva no canal Patrícia Pedrozo Coach e não se esqueça de curtir nossa página no Facebook Mente de Trader

Para quem usa o Instagram, só me seguir lá no @herick.borges.14

Ainda não leu os outros posts?! Então Clica aí:

 

Histórias que você conta

Reflexões sobre o Tempo

As aparências enganam…

Livre-se de todo o peso que você carrega

Verdades Difíceis de Engolir

O que você veio fazer aqui?!

Ser Trader: Reflexões sobre o Tempo.

Já aviso logo: O post de hoje pode parecer “muito filosófico“. E tem algumas pessoas que não curtem muito pensar, então para essa galera, eu peço que acesse esse link: Setups e outros operacionais. Já para quem não clicou, vamos a algumas Reflexões sobre o Tempo que eu tive esses dias.

 

Tempo é tempo, mano velho....

 

 

Uma hora, ele acaba.

 

Sim, esse é um fato que todos sabemos. Nascemos, crescemos e mais cedo ou mais tarde, morreremos. Todos nós. Sem exceção.

Para alguns, pensar na morte em si é algo assustador, por que na realidade ninguém quer morrer (ou pelo menos quase ninguém…). E quando não damos a devida atenção a esse “pequeno” fato imutável da vida, achamos que teremos todo o tempo do mundo.

Muitas pessoas vivem hoje, como se fossem eternas, como se fossem viver para sempre. E sabem o que elas fazem de melhor? Sim, procrastinam, afinal “amanhã eu vou estar aí de novo” ou “posso fazer isso depois“…

E essas pessoas quando chegam ao final da vida, percebem que não construíram nada de importante, não deixaram um legado, não souberam aproveitar o tempo… mas advinha quem não procrastina nunca? Ela mesma, a Dona Morte….

 

 

Seu Tempo é o seu segundo ativo mais precioso.

 

Como já disse aqui antes, muitos Traders não se consideram como um ativo. Não fazem investimentos neles mesmos, mas gastam rios de dinheiro e tempo em livros e cursos para aprender técnicas inovadoras e métodos infalíveis.

Ou seja, não investem no primeiro maior ativo e ainda desperdiçam o segundo. Lamentável.

Quando se tem essa noção bem clara e enraizada na sua mente, de que seu tempo é limitado, que uma hora ele acaba, você percebe que seu Tempo é o ativo mais valioso que você possui.

Se o investir da forma correta, poderá receber ótimos dividendos. Se o investir de forma errada, vai ter desperdiçado todo ele.

E vou te falar, muita gente desperdiça seu tempo de vida com coisas e pessoas inúteis, que não agregam nada na sua vida. Ficam em relacionamentos ruins, empregos ruins, vivem uma vida ruim, achando que “um dia vai melhorar” mas esquecem que o tempo está passando.

E sim, antes que falem “Mas estudar não é desperdiçar tempo…“. Eu repondo que :

É sim, seu idiota. Se você está procurando algo novo, sem sentido para você, pelo simples fato de querer alcançar um objetivo rápido e não se aprofundou ao que você já sabe, estudar qualquer novidade se torna perda de tempo… e idiotice!

 

Tempo é relativo

 

O que quero dizer com isso, é que a percepção de tempo é relativo. Não estou levando para o lado físico de Einstein e sim, pura percepção mesmo.

Quando se é criança, e você possui “toda uma vida pela frente“, porém cada minuto parece uma eternidade. E por isso, as crianças querem aproveitar ao máximo, fazendo  o que elas gostam, brincando, correndo… e algumas gritando loucamente como se não houvesse amanhã! (de certa forma, para elas não existe o “amanhã”).

Quando nos tornamos mais velhos, entrando para a adolescência e fase adulta, começamos a planejar o futuro, desejando coisas para nossas “vidas futuras“. Nessa fase, só queremos que os dias passem o mais rápido possível, por que temos que estudar ou trabalhar, e queremos logo aquilo que sonhamos…

E essa é a parte mais perigosa, pois não damos o valor correto ao nosso tempo, nosso hoje. Ficamos presos a um “amanhã que não existe“.

E no final da vida, com a morte batendo na nossa porta já, as vezes se tornando nossa companheira até, percebemos o quanto não aproveitamos. Ficamos velhos e nem percebemos. Começamos a dar o valor para o nosso tempo, afinal ele é agora um recurso muito escasso.

 

 

E se você leu até aqui…

 

…Saiba que não desperdiçou seu tempo. Talvez até tenha investido ele de uma forma mais inteligente do que se estivesse em uma rede social onde todos estão ricos e felizes o tempo todo. E enquanto você observa isso, perde horas do seu dia “invejando” a vida alheia e não construindo algo para você.

E aqui deixo para você algumas perguntas que sempre ficam na minha cabeça:

  • Estou utilizando meu tempo da melhor forma possível?
  • Estou investindo ele para construir algo que realmente eu quero para minha vida?
  • Se eu permanecer onde estou/fazendo o que estou fazendo/ convivendo com as pessoas que convivo, isso me agrega coisas boas ou não?
  • Como posso investir meu tempo em coisas mais úteis e parar de investir tempo em coisas inúteis?

 

Falta de tempo é desculpa daqueles que perdem tempo por falta de planejamento.

 

 

E para finalizar…

 

O tempo começa a passar no momento em que a gente nasce e depois ele não regride mais, vai para frete. Não importa se sua vida inteira você fez escolhas erradas as quais se arrependeu ou se encontrou a felicidade, o tempo é indiferente, e quando aquela areia da ampulheta acabar, você morre..Para quem diz quer Mercado financeiro é só “Setups, operacionais, números e probabilidades“, eu pergunto, e essa filosofia toda aí que eu escrevi, é inútil?

E todo o impacto psicológico que esses pensamentos causam em você, é inútil?

Como essas perguntas, devidamente estruturadas, te causando certo desconforto possivelmente, estão fazendo como um Coach faz, é inútil?

Para quem pensa que não precisa “pensar“, mas sim fazer “cálculos“, eu  digo que está perdendo tempo. E se quiser perder tempo, clica no link que deixei lá no início do post.

E agora, o que você vai fazer?! O tempo está passando…

 

Muito obrigado por ter investido seu tempo e por ter lido o post até aqui. Espero que tenha te ajudado de alguma forma. 🙂

Curtiu o post?! Então deixa aí nos comentários o que achou! E não esqueça de compartilhar ele com outros traders para que a gente possa ajudar mais gente nesse mercado!

Antes que eu esqueça, NÃO DEIXE DE SE CADASTRAR para receber as notificações sempre que rolar um post novo aqui no Blog! Não vai querer ficar de fora, não é mesmo?!

Quer saber mais sobre desenvolvimento pessoal e alta performance? Se inscreva no canal Patrícia Pedrozo Coach e não se esqueça de curtir nossa página no Facebook Mente de Trader

Para quem usa o Instagram, só me seguir lá no @herick.borges.14

Ainda não leu os outros posts?! Então Clica aí:

As aparências enganam…

Livre-se de todo o peso que você carrega

Verdades Difíceis de Engolir

O que você veio fazer aqui?!

A Toda poderosa Sincronicidade

Principais características de um Trader Alfa

Mindset do Trader: Simplifique as coisas

Vamos para mais uma parte para a construção do nosso novo Mindset! E hoje a dica é: SIMPLIFIQUE AS COISAS!

 

Resultado de imagem para simplificar frase DaVinci

Por que simplificar?

 

Se você vem acompanhando nossa série de postagens sobre Mindset, já percebeu que o nosso foco é aumentar a assertividade e com isso, trazer inúmeros benefícios como autoconfiança, autoconhecimento… consistência.

Para que você possa aumentar tudo isso a solução é simplificar. Sim! exatamente isso que você leu.

Muita gente acha (e tem uma crença forte até) que operar no mercado financeiro é algo complexo, que você precisa saber muita coisa e blá blá blá…

Isso se reflete em operacionais muito complexos, com coisas que as vezes nem nos servem de fato. Estão lá por que “fica bonitinho na tela” ou “Vai que um dia funciona“…

Existem Traders que possuem um tipo de operacional para “cada ocasião“. Claro né, vai que o “mercado muda” (algo que não ocorre desde… quando se iniciaram as operações na bolsa)

Portanto, quando você resolve simplificar as coisas, parece que magicamente, tudo vai ficando mais fácil de entender. Não só no Mercado Financeiro, mas na vida de forma geral.

 

Como seu cérebro entende as coisas

 

Já disse que nosso cérebro é beeeem preguiçoso. E com isso, ele usa certos atalhos para poder agir de forma mais rápida e economizar energia no processo.

Sendo assim, ele memoriza os condicionamentos mais simples, de maneira muito mais rápida, e transforma isso em comportamentos automáticos. Logo, quando se depara com uma situação semelhante, ele age daquela forma “sem pensar

Um bom exemplo de por que você deve simplificar as coisas:

Imagina que você está em uma sala, onde existam algumas lampadas que acendem em vermelho e verde, e na sua frente existe um único botão de ação.

Você recebe a orientação que pode apertar o botão de ação quando as luzes se acenderem e que será recompensado pelos resultado da sua ação.

De inicio, somente uma luz se acende em verde ou vermelho. Então, seu cérebro, de forma automática, vai fazer você pressionar o botão, assim que a luz verde aparecer. Você não pensa, só age.

Alguns minutos depois, uma segunda luz começa a acender. Quando ambas estão na mesma cor, fica fácil deduzir a ação. Se ambas estiverem verdes, seu cérebro age. Porém, quando estão em cores opostas, como seu cérebro toma essa decisão?

E com três luzes? E com quatro? E com cinco?

Percebe que quanto mais informação a ser processada, mais lenta é sua tomada de decisão, e com isso, maior a chance de hesitação e congelamento. Assim, você perde o timming de agir no mercado, perdendo oportunidades, que geram frustração e outros sentimentos ruins…

Não precisamos de coisas complexas, ainda mais em um ambiente que as decisões devem ser tomadas de forma rápida e o mais eficaz possível.

 

Como devo simplificar?

 

Aqui eu utilizo um pouco da teoria de minimalismo: O que é, de fato, útil para mim? O que me dá resultados concretos? O que eu REALMENTE preciso para poder agir no mercado?

Essas são perguntas que você deve responder, não só com base no seu operacional, mas em relação aos seus comportamentos, pensamentos entre outras coisas.

Como mencionado antes, pode ser que você esteja utilizando uma técnica, um indicador ou tendo um comportamento que não está te ajudando em nada e ao mesmo tempo “ocupando espaço” de algo, que poderia ser mais útil.

Então, a dica que fica é: Analise de forma criteriosa todas as suas ferramentas para se operar no mercado. Seja o operacional, seus comportamentos, seus pensamentos, suas ações.

Faça uma coisa por vez para que você mantenha o foco. Logo você  vai perceber que quanto mais simples for, mais rápido você vai evoluir.

 

Curtiu o post?! Então deixa aí nos comentários o que achou! E não esqueça de compartilhar ele com outros traders para que a gente possa ajudar mais gente nesse mercado!

Antes que eu esqueça, NÃO DEIXE DE SE CADASTRAR para receber as notificações sempre que rolar um post novo aqui no Blog! Não vai querer ficar de fora, não é?!

Quer saber mais sobre desenvolvimento pessoal e alta performance? Se inscreva no canal Patrícia Pedrozo Coach e não se esqueça de curtir nossa página no Facebook Mente de Trader

Para quem usa o Instagram, só me seguir lá no @herick.borges.14

Ainda não leu os outros posts?! Então Clica aí:

Aumentando a nossa Eficácia e Eficiência

Mantenha o foco em um lugar: Você

Corrigindo as Incoerências Internas

Desconstruir para Reconstruir

Diferença entre Mindset para o Trader

Mude o que não te agrada

 

Mindset do Trader: Aumentando a nossa Eficácia e Eficiência

Vamos dar continuidade a nossa construção de um Mindset poderoso para vencermos no mercado? Então hoje, vamos começar a aumentar nossa Eficácia e Eficiência.

 

Deixando as coisas mais claras

 

Eficácia e Eficiência são palavras que se assemelham muito, porém existe uma sutil diferença entre seus significados, o que é importante saber para podermos nos desenvolvermos melhor.

Eficiência é o ato de fazer certo as coisas. Ou seja, agir conforme o esperado. Por exemplo, você é eficaz no mercado, se você opera nos pontos que sua análise indicou como entrada.

Eficácia é o ato de fazer as coisas certas. Ou seja, ter atenção ao que está sendo feito. Nesse caso, como exemplo, seria você analisar o mercado antes de escolher suas entradas.

Eficácia é mais amplo do que Eficiência, no sentido de resolução de “problemas maiores”. Podemos pensar que Eficácia é o conjunto de ações que possuem Eficiência. Logo, se você começa a agir de forma mais eficiente, você contribui para o aumento da sua eficácia.

 

Imagem relacionada

 

Aumentando a Eficiência

 

Antes de mais nada, precisamos saber como vamos medir nosso estado atual de Eficiência. Existem muitas maneiras de se fazer isso, seja por relatório de performance da plataforma, por Diário de Trading, por numero de operações que de fato foram no seu alvo… Você precisa definir um ponto de partida.

De que maneira você vai medir sua Eficiência?

Definida a métrica pela qual você vai medi-la, você pode olhar para o seu operacional, e se perguntar: O que de fato funciona para mim e o que está só ocupando espaço?

Como já mencionei no post anterior, é importante manter o foco em você e no que realmente funciona, para você. As vezes temos informações demais, que não utilizamos e por “preguiça” não excluímos, o que gera problemas e nem sabemos o porquê.

O que não é útil para você no seu Operacional? Você pode simplificar ele e adaptá-lo melhor ao seu perfil? Como você pode, com o que você já sabe e utiliza, torná-lo mais Eficiente?

Quanto mais simples ele for, melhor para tomar decisão. Explico melhor isso em um outro post.

E agora, me responda: Com esse “novo” operacional, como você vai agir de forma mais Eficiente?! (há uma diferença sutil aqui, entre essa pergunta e a anterior. Se você não notou,  leia de novo com atenção).

 

Aumentando a Eficácia.

 

Analisamos o operacional de forma direta, “micro“. Agora vamos olhar algo maior.

Pare por alguns minutos e pense no que você faz hoje, de rotinas fora do mercado, que te ajudam de fato, a ter melhor resultado dentro do mercado.

Se preciso, anote em algum lugar tudo o que você faz que considere que te ajude de alguma forma. Tudo mesmo.

Depois de anotar, justifique como essas atividades te ajudam, especificamente no mercado. Por exemplo: Fazer exercícios físicos – Me ajudam a controlar a ansiedade no mercado.

Feito isso, espero que você já tenha uma visão geral da sua rotina e o que de fato ajuda e o que não ajuda. Agora vamos ao que interessa: Essas atividades que não ajudam, podem ser evitadas? Podem ser substituídas ou modificadas?

Em caso positivo, pense: O que, se eu começar a fazer a partir de agora, pode me ajudar a melhorar meu desempenho no mercado, ao invés dessas atividades aqui?

Tome notas de tudo o que vier na sua mente e em seguida, justifique como elas podem te ajudar a melhorar no mercado.

 

Resultado de imagem para eficácia e eficiencia

 

 

Colocando tudo em prática

 

Agora, com tudo pronto, é hora de colocar as coisas para funcionarem. No começo, tudo pode parecer diferente e você ficar em dúvida se deve fazer ou não.

Uma boa maneira de minimizar, é testando de forma prática antes, em um simulador ou replay, para que você se acostume a se comportar diferente.

Quando por em prática, é comum também que, por ser algo “novo”, cometa algum deslize, então não se cobre muito por isso. Se pergunte: O que eu aprendi com isso? E como posso fazer para não cometer esse erro novamente? e siga em frente a partir daí.

Melhore, coloque em prática, e me diz como estão seus resultados.

 

 

Curtiu o post?! Então deixa aí nos comentários o que achou! E não esqueça de compartilhar ele com outros traders para que a gente possa ajudar mais gente nesse mercado!

Antes que eu esqueça, NÃO DEIXE DE SE CADASTRAR para receber as notificações sempre que rolar um post novo aqui no Blog! Não vai querer ficar de fora, não é?!

Quer saber mais sobre desenvolvimento pessoal e alta performance? Se inscreva no canal Patrícia Pedrozo Coach e não se esqueça de curtir nossa página no Facebook Mente de Trader

Para quem usa o Instagram, só me seguir lá no @herick.borges.14

Ainda não leu os outros posts?! Então Clica aí:

Mantenha o foco em um lugar: Você

Corrigindo as Incoerências Internas

Desconstruir para Reconstruir

Diferença entre Mindset para o Trader

Mude o que não te agrada